O que está buscando?

Equipe Pedagógica do SESI-SP comenta tema da redação do ENEM 2019

Analistas técnicos educacionais da instituição deram seu parecer com base na metodologia usada pelo Sesi-SP

 Por: Carlos Rogério Sartori e Maurício Colenghi Filho
04/11/201916:45- atualizado às 17:24 em 04/11/2019

No primeiro dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), realizado neste domingo, 6 de novembro de 2019, o tema da redação abordou uma temática direcionada a uma intervenção bem específica na sociedade: “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”. E segundo os analistas técnicos educacionais do Sesi-SP, a argumentação pode variar bastante, desde o acesso ao meio físico e às especificidades audiovisuais de cada película, à distribuição das salas no território nacional, até a democratização da cultura, que é um direito de todo cidadão brasileiro, assegurado inclusive pela Constituição Federal no seu artigo 215.  

A discussão em torno dessa democratização envolveria argumentos que pudessem problematizar questões de políticas públicas, como por exemplo, a lei Rouanet de incentivo e fomento às produções culturais. A temática poderia gerar uma série de propostas interventoras, no entanto os textos motivadores deram um tom mais direto: um texto tratava do cinema enquanto mecanismo para divertir o público; outro tratando da interação e identificação do real nas telas. Um terceiro tratava justamente da distribuição irregular das salas pelo país e da maneira como o acesso foi se tornando restrito a alguns segmentos da sociedade. Finalizando, um quarto texto tratava do viés tecnológico, da maneira como as produções foram remidiadas pelas mudanças na maneira de se consumir cultura por novos aparatos de funcionalidade digital, como smartphones. A proposta pedia que se respeitasse os direitos humanos para defesa do ponto de vista ao propor intervenções. Para isso há de se considerar se o acesso se dá ou não.

Pode-se afirmar que o tema surpreendeu a muitos, uma vez que aspectos culturais até podiam ser cogitados, dados as últimas abordagens da grande mídia. O que foi inesperado é justamente essa abordagem mais direta, mais próxima da realidade dos estudantes, o que trouxe certa calma a eles.

O Sesi-SP, tanto por meio das temáticas dos Eixos Integradores, quanto por uma abordagem na metodologia de ensino e aprendizagem que valorizam o desenvolvimento do pensamento crítico, contribui certamente com os subsídios necessários para uma argumentação sólida. Por meio de pesquisas, os alunos entraram nesse universo com temas como “Luz e câmera em ação” e “Qualquer semelhança é mera coincidência”, tratando tanto do entretenimento como parte de uma sociedade quanto da produção de cultura.

O tema da redação é essencialmente interdisciplinar e transita por todas as áreas do conhecimento. É possível discutir desde questões econômicas e sociais, como valor dos ingressos das salas de cinema e a renda média da população brasileira, até questões geográficas, como a concentração da cultura cinematográfica nos grandes centros urbanos.

As linguagens e as ciências humanas repertoriam os estudantes com reflexões acerca da natureza estética do cinema. Trata-se de uma arte que traz a possibilidade de pensá-lo como uma linguagem de pensamento que vai além de representar o cotidiano, visto que cria mundos e realidades que o simples olhar não permitiria, e de como é importante a democratização desse tipo de experiência para a formação integral de todo cidadão brasileiro, o que infelizmente ainda não é uma realidade.

Em suma, todas essas abordagens são discutidas no dia a dia do processo de ensino e aprendizagem em nossas escolas da rede Sesi-SP, desenvolvendo em nossos estudantes competências argumentativas e aumentando seu capital cultural, a fim de pensarem e se comunicarem com consistência crítica e bem fundamentada.

Leia também